A exposição “Moral da História” está integrada no ciclo “Animalidades e outras Botânicas” e resulta de uma parceria Direção Regional de Cultura do Norte/Sismógrafo e Galeria da Biodiversidade da Universidade do Porto.

Esta exposição celebra o regresso à pintura de Vítor Pomar, vinte anos depois.

Trata-se de um nome consagrado da arte contemporânea portuguesa, que já teve uma retrospetiva da sua obra no museu de Serralves e várias individuais na Fundação Gulbenkian.

Vítor Pomar, filho de Júlio Pomar, expõe regularmente desde 1970, tendo-lhe também sido atribuído, em 2003, o prémio EDP Arte, um dos mais relevantes a nível nacional.

Esta exposição, no âmbito do ciclo “Animalidades e outras Botânicas”, incidirá sobre a dimensão espiritual da ecologia, nas suas vertentes zen e dzogchen.