O tema escolhido para abrir o ano de 2021 ” à margem”, reúne um conjunto de filmes que se focam em personagens marginalizados. Deslocadas do que é a norma na sociedade, colocadas de lado, são a maior parte das vezes esquecidas e incompreendidas levando a uma inevitável segregação. 

No dia 7 de janeiro, a primeira sessão do ano, será o filme mais recente de Arnaud Desplechin sobre um crime baseado numa história real numa das zonas mais pobres de França. 

No dia 9 de janeiro, exibiremos o documentário Capital no Século XXI, baseado no livro de Thomas Piketty, um filme que desmonta o popular pressuposto de que a acumulação de capital acompanha o progresso social, lançando uma nova luz sobre as crescentes desigualdades da actualidade. 

*O filme Apocalypse Now, inicialmente programado para dia 9, devido à sua duração e às restrições impostas pelo combate à pandemia, será reagendado para outra altura mais oportuna.

Nas sessões 14 e 15 de janeiro receberemos Regina Guimarães e Saguenail com duas sessões muito especiais: Resistência com dois filmes feitos durante a quarentena e Sine Canone uma projecção de várias curtas-metragens dos dois artistas.


No sábado, 16, exibiremos o filme de Oliver Laxe O que arde sobre o regresso de um criminoso à sua terra natal e a desconfiança que é criada com este regresso. Na quinta-feira, 21 de janeiro, exibiremos o filme Os Miseráveis de Ladl Jy, sobre os subúrbios parisienses e os problemas entre a polícia e os seus habitantes. No sábado, 23 exibiremos o mais recente filme de Basil da Cunha O fim do Mundo que nos servirá de mote para uma conversa mais aprofundada sobre os desafios existentes na nossa sociedade.
Na última semana de janeiro, associamo-nos ao IndieJúnior que regressa à Casa das Artes pela terceira vez.

Devido às restrições impostas por causa do combate à pandemia COVID-19, as sessões de quinta-feira passam para o horário das 19h30 e as de sábado para as 10h30.

Consulte a programação completa aqui.